segunda-feira, junho 26, 2006

o amor sentado ao canto do bar vestido de negro

O amor sentado,
Pede uma bebida e
Descansa num canto
Do bar onde vivem
Os desejos obscuros
De mentes distorcidas
A mulher
Que bebe do copo
As marcas dos lábios
De gordo manchado
O desespero
De amar o que não se tem
São almas perdidas
Que misturam conversas
E o sangue no alcóol
Mergulha nos sentimentos
Cheios de vácuo
E de imagens de acidentes de carro
O amor sobrevive
Assiste descansado
Vestido de negro
Assim como o coração
De quem deseja o amor
De forma perversa
Sem pedir licença
O sexo conversa dentro das bocas
E o fumo de cigarros
Mal apagados
Encontra caminho no ar
De todos os homens
Que respiram e vivem por isso
O amor sentado
De perna cruzada
Sapato de verniz
Assobia acompanhado
Da música lenta
De um piano de teclas
Que são brancas e pretas
E ouve as palmas surdas
No fim de cantar
O amor pede a conta
E sai sem notar
O mundo continua
E não ama
Bebe e fuma
Os carros vão a casa
E os sapatos de salto
Ficam vermelhos
Despidos
na beira da cama.

sábado, junho 24, 2006

nú...


Mulher: obrigado!
Homem: quando quiseres…
Mulher: mostra-me o quanto gostas de mim?
Homem: não posso.
Mulher: insulta-me.
Homem: não posso.
Mulher: pago-te?
Homem: no fim do mês, junto com a conta da luz.
Mulher: Amo-te.
Homem: não podes.
Mulher: porque não?
Homem: porque só existo para ti quando estás excitada… e depois do orgasmo, acabou.
Mulher: mas hoje ainda existes…
Homem: pouca sorte.
Mulher: ama-me.
Homem: não posso.
Mulher: Porquê?
Homem: porque não sou de ninguém, vivo onde faço sexo, sou aquilo que as pessoas me pagam.
Mulher: Amas?
Homem: não. Hoje. Amanhã quem sabe?
Mulher: quanto seria preciso para que me amasses?
Homem: Aquilo que tu achas que o amor vale.
Mulher: nada e tudo.
Homem: então é isso que eu sou: nada e tudo. E isso não é comida.
Mulher: mas podia ser…
Homem: mas ser o nada e o tudo, não na realidade nada?
Mulher: pode ser o tudo?
Homem: como sabes?
Mulher: porque é isso que é o amor…
Homem: contradizes-te.
Mulher: por isso mesmo, porque não é possivel definir, porque nenhum dos conceitos existe na realidade… e é isso que o amor vale.
Homem: é tarde.
A mulher sai de cena. O homem tira o cinto deixa-o cair. Sai.
Mulher entra de lingerie.
Mulher: amo-te porque existes sempre que penso em ti, e isso dura o dia todo. Os dias todos.

terça-feira, junho 20, 2006

a filha da bruxa esteve na esmae...

não é por morrer uma
andorinha que acaba a primavera...

domingo, junho 18, 2006

broken elevator
















late at night, i arrive from somewhere...
the silence is all over the place,
and my body begins to feel tired of the dark.
the elevator is slow, so I wait,
look at me, there i am, in the mirror. waiting for
something, waiting for you.
alone. in the night.
thinking in suicide.
last floor. that's me.

Seguidores