segunda-feira, setembro 24, 2007

dias de folga

finalmente um dia de descanso, não propriamente mas um dia em que a cabeça não pesou tanto e o corpo agradece a calma e os olhos sorriem contentes por se saberem menos horas acordados.
o mundo está confuso ou será impressão minha?
às vezes não entendo como é que se perde tanto tempo em organizar tudo e toda a gente e quanto mais se organiza mais se quer organizar e no fim, como ninguém sabe nada de organização, está tudo um caos. é isso mesmo que o mundo é neste momento, um caos, parece que ninguém sabe que decisões há-de tomar, para que lado há-de ir, se segue ou volta para trás. e vive-se, ou tenta-se (viver), nesta confusão de organização em que nos metemos por não sabermos como é que queremos que as coisas fiquem na realidade.
cansa-me esta displicência que se tem em relação aos outros, e como tudo acontece como se não houvesse afectados, lesados, somos todos a causa de algo e as consequências ficam para mais tarde ou para as dores de cabeça de quem quiser.
no final de contas o que importa?
um dia acordas e dizem-te que tens um cancro, uma doença que mata. o que fazer? vives na angústia de querer aproveitar mais um ano de vida custe o que custar, mais um ano, e mais outro, e entretanto tenta-se curar a doença, e entras e sais de hospitais, matas-te (tu e quem te quer) a tentar encontrar um solução, uma saída da tua condição. passam-se os anos dentro e fora de hospitais, e ainda assim há um esforço para aquilo que se diz ser "uma vida normal" - dentro dos possíveis - e os anos passam (com sorte ou azar eles passam, ou podem passar) e depois um dia a tua mãe sai de casa, no dia a seguir ao teu aniversário, ficaste mais uma vez no hospital... falta-te o corpo, a respiração (mais tudo aquilo que deixaste ficar para trás nos anos que já passaram)... dirige-se para o hospital, a tua mãe, no dia depois e dizem-lhe de lá por telefone que faleceste. e no fim ficam cá os vivos. e o que importa? o que importam as coisas a que damos importância se acabamos ou por ficar ou por ir.

Sem comentários:

Seguidores