sexta-feira, novembro 02, 2007

sem pensar voam os dedos

NOVEMBRO.come.a a con.tage. decrescente
"e o céu altivo e forte ao fim de um dia, tem lágrimas de sangue na agonia...
e as pedras essas pisa-as toda a gente...!"
projectos incapacidade BRUTAL
úlceras que atropela palavra sem desti.n..o.
MESES PASSAM MESESssssssssssssssssssssssssssssss
ao som do flamenco cruzam-se os corpos, amam-se gentes, pisam-se todos os rostos desconhecidos.
saber gosta va de s a ber. anos e o futuro (no escuro) ninguém sabe dele----

é uma jornada. 1.00h a hora depois já passou. novembro/2

Sem comentários:

Seguidores