sexta-feira, dezembro 07, 2007

postangens a mil à hora - a àrvore


a grande correria que se faz para ver a grande árvore plantada em plana Avenida dos Aliados, e o natal chegou já a meio do mês de Novembro e Portugal aflui á nossa pequena réplica dos campos elísios (pelo menos lembro-me sempre que por lá passo). As ruas brilham e piscam a cada passo que se desce ou sobe cada uma delas e o natal está por todo o lado, desde as lojas dos chineses que estão entupidas de material natalício e preços aliciantes para as coisitas mais pequeninas que precisamos para cada um de nós ter um natal mais poupado...
as lojas vestem-se de enfeites e de produtos e promoções que saltam aos olhos das pessoas que se deslocam em grupos de um só para visitar, entrar e sair, cada porta que tem uma montra.
mas é no momento do lusco fusco, ou quando as nuvens decidem mais cedo, quando a escuridão desce à cidade, as luzes ligam-se e não só os candeeiros, mas toda a iluminação que árvore e a millenium a edp decidiram trazer este ano á invicta...
a maior árvore de natal da europa, na minha opinião, algo perfeitamente grotesco e nada menos adequado para esta altura durante o dia, já que aquilo que vemos quando o céu (com ou sem nuvens) nos permite é uma estrutura metálica pesada e inestética que lembra mais um aparelho de dentes gigantes colocado para melhorar o sorriso da cmp, essa belíssima instituição, mesmo atrás... de quem vê do ponto de vista do cavalo que nunca mais chega a s.bento, nem pensar á ribeira...
Não ignoro o poder da ilusão e a boa vontade que existe (para além da promoção bancária e do consumismo) de tentar que todos tenham um óptimo natal, meu pessoalmente adoro esta altura do ano... não por aquilo que envolve, mas pela magia que se sente no ar, pelo menos eu gosto de pensar que existe, que há pessoas que aproveitam os cachecóis e as luvas para sairem á rua nestes dias em que o natal está na rua, com o cheiro das castanhas assadas e o quentinho dos cafés ao fim de tarde.
mas o que mais gosto são as pequenas livrarias e papelarias que se enchem de decorações de madeira handmade para as árvores de natal de vários e diferentes tipos de papel para podermos nós fazer prendinhas para as pessoas que gostamos... ao contrário de mediamarkets e afins que são muito práticos mas a magia fica muito longe, para lá das portas automáticas da entrada (das diferentes entradas).
Mas ainda assim, as ruas este ano brilham mais do que em qualquer ano de que eu me lembre, há praças com cúpulas futuristas de polietilenos que albergam parques infantis com temáticas natalícias e uma pista de gelo, mesmo frente ao novo sinal que brilha também a vermelho de “Música no Coração”, e as cores misturam-se acima das nossas cabeças... e não me lembro de mais para dizer... deste porto de natal.

Sem comentários:

Seguidores