sexta-feira, maio 29, 2009

working



[clique na imagem]


www.sempalco.blogspot.com

quinta-feira, maio 28, 2009

contemporaneidades de 1928

«A nossa época é essencialmente trágica, por isso nos recusamos a aceitá-la tragicamente. O cataclismo deu-se, estamos entre as ruínas, desatamos a construir novos pequenos habitat, a alimentar novas esperançazinhas. É uma tarefa difícil, já não há nenhuma entrada suave em direcção ao futuro: rodeamos os obstáculos, ou passamos por cima deles. Seja qual for o número de réus que desabem, temos de viver.»
in "O Amante de Lady Chatterley"
(D.H. Lawrence)

terça-feira, maio 26, 2009

intelligence is dynamic

segunda-feira, maio 25, 2009

napolidanza...



www.napolidanza.com
IL COREOGRAFO ELETTRONICO
international festival of videodance
Naples, Pan|Palazzo delle Arti Napoli
29th & 30th of may 2009

NOTA: ATENÇÃO AO MINUTO 1:40, "The Movement of Things"

outras palmas...

Award for Best Actress: Charlotte Gainsbourg
Antichrist directed by Lars Von Trier



Vulcain Prize for an artist technician, awarded by the C.S.T.
Map of the Sounds of Tokyo directed by Isabel Coixet

domingo, maio 24, 2009

Palma de Ouro em Cannes


"Arena", a segunda curta metragem de João Salaviza, galardoada com Palma de Ouro em Cannes. ver mais aqui

E para quem quer dar uma espreitadela...

sábado, maio 23, 2009

No poder existem dois pólos que não tem necessariamente que se atrair.

Oleanna de David Mamet.

"Os discursos devem ser tratados como práticas descontínuas, que se cruzam, que se justapõem por vezes, mas que também se ignoram ou se excluem. (...) Deve-se conceber o discurso como uma violência que fazemos às coisas, como uma prática que lhes impomos" **
Michel Foucault in A Ordem do Discurso (**retirado do programa da peça de teatro "Oleanna" apresentada no Passos Manuel pela companhia Ensemble - Sociedade de Actores, Porto.)

Em "Oleanna" de D. Mamet (também realizada pelo próprio autor para cinema em 1994 - ver aqui) encontramos uma dislexia paradoxal entre esses dois opostos. O opressor e o oprimido, ou antes, a interpretação dos factos por parte do que é subjugado face ao seu oposto que vive em função das suas necessidades, interesses e valores pessoais.
Um fair play onde as regras são exactamente as que cada um desejar não permitindo deste modo uma fácil dedução de injustiça, um jogo onde se pode apenas aferir a fácil construção e desconstrução das hierarquias sociais.
Os factos, ou apenas "alegações", são base para um confronto de palavras resultante de um não entendimento e uma revolta que funcionam como filtro para a consciência humana.

Num dispositivo cénico eficazmente simples, as palavras "caras" são contestadas e contrapostas por outras "correntes" com o mesmo significado e valor da realidade do discurso de um professor que vai perdendo poder em relação à aluna que conduz o seu ódio e confusão até uma total inverão dos papéis, onde a razão deixa de ser uma pauta de comportamento humano. O oportunismo e a esperteza são as armas desta disputa intelectual em nome dos valores e respeito; em nome e um grupo de pessoas ostracizado perante o poder instítuido e o à vontade inconsequente dessa mesma liberdade baseada no estatuto. Palavras que são factos distorcidos na óptica do "utilizador" do sistema.

Um lugar onde a acção decorre daquilo que se diz. Esse sítio é Oleanna.

quarta-feira, maio 20, 2009

B.

O TEatroensaio – Teatreia Associação Cultural apresenta

"B." a partir de Samuel Beckett


De 28 de maio a 14 de Junho de 2009, de Quinta a Domingo – 21h30m
Blackbox, Cace Cultural do Porto (rua do Freixo 1071)

Informações e Reservas: 918626345 e 937017575
www.teatroensaio-teatreia.blogspot.com | teatroensaio@gmail.com

Sinopse:
Uma das grandes provas da capacidade de resistência mental e física que o ser humano tem pós o caus, o extremo acontecimento e a noção de que para além de nada ainda existe a permanência, a solitária permanência entre e sobre os cacos, são os textos de Samuel Beckett.
Sim falamos sobre existencialismo, mas sobretudo sobre existência.
Estes textos que iremos apresentar são a prova literária, teatral e pessoal disso mesmo. O que levará? Que motivação terão estas personagens? Umas cómicas outras trágicas ao extremo do ridículo, a ainda permanecer?
“B.” é um espectáculo que trata e retrata esta existência que é tão frágil e ténue como a vida humana.

O Encenador

Pedro Estorninho


Ficha Artística:

Textos: a partir de Samuel Beckett

Encenação: Pedro Estorninho
Tradução: Inês Leite
Interpretação: Ana Vargas, Daniel Pinheiro, Inês Leite, Joana Mesquita, José Topa, Julieta Guimarães, Olinda Favas
Desenho de Luz: Margarida Alves
Operação de Luz e Som: Margarida Alves e Romeu Guimarães
Cenografia: Joana Santos
Produção: Teatreia Associação Cultural
Design Gráfico: Manuela São Simão

--
TEatroensaio
http://teatroensaio-teatreia.blogspot.com/

Apoios / Parcerias
IEFP,IP / CACE Cultural Porto /Panmixia / ESMAE / ESE - IPP / MOLA

NINE



"Nine" é a adaptação ao cinema, por Rob Marshall, do musical da broadway estreado em 1982.
Desta vez é Daniel Day-Lewis que faz o papel de Marcello Mastroianni, ou mais precisamente de Raúl Juliá (nomeado para os Tony Awards em 1982 pela sua interpretação de Guido Contini).
De de Fellini, para a Broadway e agora no cinema...
Once again the musicals are back...
Um elenco repleto de estrelas, só falta esperar para ver o resultado em Novembro, ainda sem data de estreia anunciada para Portugal.

domingo, maio 17, 2009

le silence

les mots son là, quelque part, sans faire le moindre bruit, je ne sais pas ça non plus, les mots qui tombent, on ne sait pas oú, on ne sait pas d'oú, gouttes de silence à travers le silence.

Beckett, L'Innommable (1953:159)

granada


"Isabel, uma terrorista apaixonada. Pedro, um prostituto sonhador. Os dois no limite da precariedade, envolvem-se num crime sexual."

Fábrica Social - Fundação José Rodrigues | 14 maio a 6 junho'09 | quinta a sábado - 21.45h

info e reservas_ geral.babel@gmail.com | http://babel-ac.blogspot.com/
preço único_ 5 euros

texto e direcção_ miguel cabral
interpretação_ ana margarida carvalho, miguel rosas e andré figueira
música_ trei pastori
produção executiva_ joana meneses fernandes

Uma peça sobre as relações de poder envolvidas com o amor. Um amor que sobrevive na expectativa de conseguir algo de terceiros, de enfraquecer os laços de outras famílias.
GRANADA é sobre a disfuncionalidade de um casal e as contínuas transferências de poder entre um e outro, num universo onde os dois procuram uma auto-satisfação plena numa existência anónima, híbrida, estéril... Uma existência frágil apenas possível na ausência do resto do mundo.
Num tom de comédia negra contemporânea, e num espaço quase clínico de laboratório artístico, surge GRANADA como um reflexo dos dias actuais, das preocupações geracionais que assolam o nosso quotidiano. Uma metáfora dos sítios de fuga que o ser humano cria em resposta a uma incapacidade de se relacionar num mundo onde o poder se transfere à velocidade de um tempo ao qual ainda não nos acostumamos.

sábado, maio 16, 2009

fate is a unknown place

I Carry Your Heart With Me

i carry your heart with me(i carry it in
my heart)i am never without it(anywhere
i go you go,my dear; and whatever is done
by only me is your doing,my darling)
i fear
no fate(for you are my fate,my sweet)i want
no world(for beautiful you are my world,my true)
and it's you are whatever a moon has always meant
and whatever a sun will always sing is you

here is the deepest secret nobody knows
(here is the root of the root and the bud of the bud
and the sky of the sky of a tree called life;which grows
higher than the soul can hope or mind can hide)
and this is the wonder that's keeping the stars apart

i carry your heart(i carry it in my heart)

e.e. cummings

current mood: anxiety@aquarium


fotografia: David La Chapelle
retirada daqui

"If I should die this very moment..."

à Cannes...



"Ne te retourne pas" foi apresentado hoje um Cannes, um filme que ganhou pelas participações de Sophie Marceau e Monica Belluci. Um thriller psicológico sob a realização de Marina de Van, desapontante segundo os comentários em Cannes...

sexta-feira, maio 15, 2009

true blood



Estreia daqui a um mês a 2ª temporada de "True Blood"...
Muito sangue...muitos mistérios, acima de tudo glamour vampiresco, uma Anna Paquin assustadiça... and a lot of sexyness.
A não perder...

quinta-feira, maio 14, 2009

dedicatórias...

Volto novamente às dedicatórias... as imagens e as palavras de outros parecem sempre mais adequadas do que as próprias, nestas alturas em que a minha voz e o meu corpo andam completamente desagregados!


quarta-feira, maio 13, 2009

correspondência

"Ganhamos em intensidade o que perdemos talvez em qualidade, uma amizade longa, tranquila, casta e serena.", temia Virgínia.

terça-feira, maio 12, 2009

crowley and pessoa... at the NYTIMES

Portugal Holds on to Words Few Can Grasp

Pessoa and Crowley struck up an odd-couple correspondence in 1930. Pessoa was the shy, probably celibate, at the time virtually unknown Portuguese poet who lived through a multitude of literary pseudonyms. Crowley was the larger-than-life spectacle whose recent biographer felt compelled to point out that his subject “did not — I repeat not — perform or advocate human sacrifice.” A fellow astrologer, Pessoa wrote initially to correct errors he spotted in Crowley’s calculations. Crowley responded, warmly, in letters to Pessoa that he signed “666.”

The New York Times

redirected from here

segunda-feira, maio 11, 2009

boa noite

A menina do colégio francês canta... Mireille Matheieu!



Fim de domingo, os cafés fechados, as ruas vazias, e o som a ecoar em pendentes auriculares. A chuva miudinha. E as luzes que se acendem demasiado cedo, o sol despediu-se antes da noite e no entanto os gritos continuam...

quinta-feira, maio 07, 2009

Virginia's letters

"A depressão, que provavelmente tem uma origem orgânica, e que parece manifestar-se quando o sujeito não consegue realizar o seu luto, por um objecto de amor, irremediavelmente perdido, provoca uma dor moral extremamente viva, dores físicas que se passeiam pelo corpo, perturbações digestivas, falta de apetite, insónias, sono agitado, uma auto-desvalorização intensa, uma incontrolável deformação da realidade própria, que em nada interfere com a lucidez com que se olha a realidade exterior, e uma auto negação que, nos casos de melancolia profunda, induz comportamentos suicidários. Antes de abordar essas paragens, o depressivo vê abrandarem-se as suas capacidades intelectuais, e passa por penosos saltos de humor que o tornam dificilmente suportável aos olhos dos que os rodeiam.
Virgínia Woolf conheceu este estado, aos 13 anos, aos 22, aos 31 e, pela última vez aos 59 anos."
in "Cartas Íntimas a Vita Sackeville-West"

coacção e pensamentos

And in that instant, between the shadows and evil,
the world stopped --
Lucifer rose from the faces of the couple in front of me,
screaming imperative orders, which I could not hear...
The blood filled up every arterie and vein of my body
alerting every sense to be aware of the dangers that
could outcome of a sudden and convulsive misjugdement.
In this presto adagio of my inner soul, a guardian angel
stood and fought with tenacious ferocity the darkness.
And in that fraction of time, between the shadows and evil,
the world stopped, and I cried, and broke, and ached, for
your arms, your strenght, your smell, your smile...
As I ran, and the world began again to appear
I craved for the confort of you.

quarta-feira, maio 06, 2009

Kenneth Anger



Lisboa e Porto unem-se sob o nome e o trabalho de Kenneth Anger. Em Serralves (Porto), na Galeria Zé dos Bois e na Cinemateca (Lisboa) presta-se homenagem ao realizador que ficou conhecido como o homem do underground. O que nos deu a conhecer outras realidades e outros pontos de vista, que mais tarde vieram a fazer parte de uma cultura pop bastante próxima das gerações do novo século.
Ícones como Marilyn Mason, Jimmy Page, Mick Jagger entre outros também conhecidos do grande ecrã como David Lynch, Scorcese, Gus Van Sant, fazem parte de um espólio de díscipulos deste realizador vanguardista cujas obras de arte reflectem um mundo muito próprio, uma maneira de olhar para os recantos escuros, de iluminar com a lente os becos sombrios da realidade, pintando na tela objectos estéticos que acabam por ser ensaios polvilhados de metáforas e iconografias específicas do próprio Anger.
Marco Pasi, o comentador presente hoje em Serralves, falou um pouco sobre o trabalho, sobre as origens, mas acima de tudo sobre aquilo que antecede Kenneth Anger e que se transcreve, ainda hoje, em muitos dos seus trabalhos.
Para K. Anger o seu trabalho nunca está comleto, e encontra-se sucessivamente em diferentes fases "do processo", conseguindo desta maneira várias versões do seu próprio trabalho.
Pasi cita o nome de Aleister Crowley como uma das principais influências no trabalho do realizador.
"Ich Will!" um dos seus trabalhos mais recentes (2008) foi o momento surpresa da noite...
Em Kenneth há magia, há ocultismo, há poesia, há momentos de fotografia estupenda e sem dúvida uma Scarlet Woman inesquecível interpretada por Cameron em "Inauguration of the Pleasure Dome".

links: IPSILON | NYTIMES

terça-feira, maio 05, 2009

changing music...



"Cadillac Records"
Directamente para DVD? Mais um caso...

segunda-feira, maio 04, 2009

antevisões



"...then disappeared without a word."

far from heaven

"Ela estava ali, sem vida, deitada de través na cama, a cabeça pendente, o rosto pálido meio oculto pelos cabelos.
Esta visão não me larga: os braços lívidos, o corpo sem vida atirado para cima do leito nupcial pelo criminoso. Como pude sobreviver a um tal espectáculo? Ai de mim, a vida é tenaz e prende-se ainda mais àqueles que a odeiam."

Frankenstein,
Mary Shelley

domingo, maio 03, 2009

dinner/show time

"Monkey Town" a place where Dinnertime and Showtime Mingle.
example

At Monkey Town costumers can order and watch high quality events concerning quality audio/visual shows, although you have to make your reservation before and according to the Calendar they have.

sawako

Quando acordou, naquele domingo, sentia-se infeliz. Completamente devastado pelo que tinha feito na noite anterior.
Recordava-se de pequenos fragmentos de uma pequena atrocidade feita para que os sentimentos fossem rapidamente anestesiados por uma necessidade urgente de substituição material.
Enquanto a luz do sol brilhava repartida pelos interstícios da persiana destruída, a recordação atingia-o como um torpedo e pequenas explosões internas iam despoletando um acordar para mais um dia, que era diferente dos outros. Um dia que era diferente do dia anterior... Um dia que era diferente daqueles que viriam. Mas ainda assim, mais um dia e apenas isso...

retrospectiva: William Eggleston







@ WHITNEY MUSEUM OF AMERICAN ART
William Eggleston - "Democratic Camera | Photographs and Video 1961 - 2008"

freezing mobs

sábado, maio 02, 2009

la danseuse malade


Um espectáculo de Boris Charmatz e Jeanne Balibar (com direito a uma retrospectiva de carreira musical em Cannes assinada pelo português Pedro Costa - "Ne Change Rien"). Dias 7 e 8 no CCB...

sexta-feira, maio 01, 2009

isabel coixet: bastille



short by Isabel Coixet, from "Paris, Je t'aime"

Seguidores