quinta-feira, maio 28, 2009

contemporaneidades de 1928

«A nossa época é essencialmente trágica, por isso nos recusamos a aceitá-la tragicamente. O cataclismo deu-se, estamos entre as ruínas, desatamos a construir novos pequenos habitat, a alimentar novas esperançazinhas. É uma tarefa difícil, já não há nenhuma entrada suave em direcção ao futuro: rodeamos os obstáculos, ou passamos por cima deles. Seja qual for o número de réus que desabem, temos de viver.»
in "O Amante de Lady Chatterley"
(D.H. Lawrence)

Sem comentários:

Seguidores