segunda-feira, dezembro 07, 2009

long weekend

Excerto retirado da obra “O Improviso de Versalhes” de Molière.

(…)

Molière

(Para Du Croisy)

Vós fazeis o poeta, vós, e deveis encher-vos desse personagem, marcar esse ar pedante que conserva entre o comércio da boa sociedade, esse tom de voz sentencioso, e essa exactidão de pronúncia que apoia sobre todas as sílabas, e não deixa escapar nenhuma letra da mais severa ortografia.

(Para Brécourt)

Para vós, fazeis um honesto homem de corte, como já fizestes na crítica da escola das mulheres, quer dizer que deveis tomar um ar posado, um tom de voz natural, e gesticular o menos que vos for possível.

(Para La Grange)

Para vós, não tenho nada a dizer.

(Para a Menina Béjart)

Vós, representais uma dessas mulheres que, desde que não façam o amor, julgam que tudo o resto lhes é permitido, uma dessas mulheres que se entrincheiram sempre orgulhosamente sobre o seu recato, olham cada um de alto a baixo, e querem que todas as mais belas qualidades que os outros possuem não sejam nada em comparação com uma honra miserável com que ninguém se preocupa. Tende sempre esse carácter perante os olhos, para daí tirar muitas caretas.

(…)

Sem comentários:

Seguidores