segunda-feira, maio 27, 2013

light pen poem . silvestre pestana

LIGHT-PEN-POEM Performance . Torres Vedras (Portugal) 1985

::
(vozes)
As sociedades tecno-industriais ao desencadearem os processos de aperfeiçoamento continuados e ao impulsionarem o aceleramento dos processos produtivos, criaram uma dialéctica de expansão informacional vertiginosamente entrópica, em que a riqueza é sinónimo de acesso a informação, e a informação é equivalente a quantificação de tecnologias corporizadas.
Neste contexto, as forças sociais não tecnologificadas, estão imediatamente submersas e dependentes do seu usurpador tecno-volitivo, e irreversivelmente subjugadas a uma proletarização acelerada e depauperação em cadeia.
... Fazem-se experiências atómicas nas periferias dos impérios, exportam-se pré-fabricadas, encurralam-se os adolescentes nos intermináveis corredores das escolas/cadeias, e glorifica-se as mini-guerras como apoteóses olímpicas e viris, da era espacial... 
(3º texto para sintetizador de voz I)
Silvestre Pestana in "Poemografias - Perspectivas da Poesia Visual Portuguesa" Ed. Ulmeiro (1985)

Sem comentários:

Seguidores